quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Na prática

prato vegan

Nada melhor  do que comprovar na prática.
Com o vegetarianismo não é diferente.
Enquanto a pessoa não vivenciar a experiência de uma alimentação
100% vegetariana e balanceada, ela será incapaz de compreender
os benefícios desse tipo de alimentação para a sua saúde.
E os resultado não demoram a aparecer.
Em questão de dias, já é possível sentir a diferença.
O sistema digestivo funciona melhor, você ganha mais disposição,
seu sistema imunológico fica fortalecido...
A lista de benefícios é extensa.
Uma alimentação vegetariana balanceada é a melhor maneira de
fortalecer seu corpo contra a ação de vírus e bactérias e  manter
seu organismo longe das infecções.
Mas nenhuma teoria substitui a prática. Para sentir na pele os
benefícios de uma alimentação 100% vegetariana, somente
vivenciando-a no seu dia a dia.
Os resultados são garantidos.

Marco Clivati
Revista dos vegetarianos – Dez /2012

Salve uma vida !!!

411227_572271642799915_353553375_o

Todos damos o primeiro passo , pense em um dia apenas sem carne , mas inclua este dia em seu cardápio , como o dia em que você não ingeriu crueldade ...

Pratique ....Comece ....

Salve uma vida !

domingo, 25 de novembro de 2012

7 razões para ser vegetariano

7

Encontrei um site bem interessante que produz uns produtos para vegetarianos, mas é uma pena que não entregam via Sedex. Mas para quem mora em São Paulo ou Rio de Janeiro pode aproveitar.

Acesse o link abaixo e veja os produtos e leia uma matéria interessante, que é o título desse post.

VEGVITA

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Queijo salgado

1.981 mg

Esta é a média de sódio encontrado em 100 g de queijo parmesão ralado, segundo pesquisa divulgada pela Anvisa. O número pode ser considerado assustador, uma vez que a Organização Mundial de Saúde recomenda a ingestão máxima de 2.000 queijo-raladomg/dia.

As amostras foram colhidas em 15 estados e abrangeram 26 categorias de alimentos.
Entre os "campeões" no teor sódio acima de 900 mg) estão também o macarrão instantâneo, a mortadela, a mionese e o biscoito de polvilho.

Fonte: Revista dos Vegetarianos - Nov 2012

 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Arroz e feijão

arroz-feijao

Muita gente pensa que vegetarianos precisam comer PVT (proteína vegetal texturizada de soja) para "garantir a proteína" de cada dia. Eis um duplo engano. Primeiro, porque a soja nada mais é do que uma leguminosa, como o bom e velho feijão que o brasileiro consome diariamente. Adicionar "carne" de soja ao seu prato de arroz com feijão só aumenta a chance de o excesso de proteína virar carboidrato e gordura. Além disso, a PVT é pobre em nutrientes e, para muitas pessoas, de difícil digestão. Em termos proteicos, é melhor ficar com a equibrada dupla dinâmica da nossa tradição culinária!

Versátil e numerosa, a família das leguminosas tem mil e uma texturas, cores e sabores. Bastam sete colheres de sopa de qualquer tipo de feijão cozido para substituir, com vantagem, toda a proteína contida em 100g de carne.

Apenas um pedaço de carne ?

carne2

????

VEG

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Não precisa ser assim…

As estatísticas mostram que nada menos do que 140 bilhões de animais são mortos todos os anos para o consumo humano, para comida, vestimentas, divertimento e pesquisas.
A maioria esmagadora desse animais são obrigados a viver em condições horríveis.
E mesmo aqueles criados "ao ar livre", ou nas chamadas fazendas orgânicas, estão sujeitos a serem mortos contra a sua vontade.
Nenhuma criatura viva deseja morrer. E este é, indubitavelmente, o maior medo do ser humano.
Ainda assim, nós sujeitamos 3 milhões de animais todas as semanas ao nosso mais temido destino.
Nós vestimos e alimentamos a mós e às nossas crianças, desnecessariamente com produtos de hábitos cruéis e violentos.

Documentário "Compaixão"

Frigorifico1

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Faça sua parte.....

PARA QUEM AMA OS ANIMAIS:

Ao se tornar vegetariano, você poupa a vida de 94 animais por ano.

Ao se tornar vegetariano ativista (digital inclusive), você poupa em média a vida de 376 animais no primeiro ano (você + 3 pessoas).

No segundo ano (você +3 pessoas do primeiro ano +3 pessoas do segundo ano) poupa em torno de 658 animais por ano.

Agora... deu para sentir como é importante o trabalho de conscientização? Podemos convencer as pessoas através do respeito e das informações verdadeiras. Por este motivo, o Ativeg conta com cada um de vocês para que acabemos de uma vez por todas com a exploração animal no Brasil.

Uma boa forma para começar: compartilhando mensagens e campanhas sobre vegetarianismo/veganismo e proteção animal, seja do Ativeg, Vista-se, Veddas, Instituto Nina Rosa, SVB ou qualquer outro grupo que esteja engajado nesta batalha de proteção animal.

Aos que compreenderam o nosso apelo, já sabem o que fazer. Compartilhem esta mensagem e as nossas campanhas.

Agradecemos pela atenção, caso queiram nos apoiar é só mandar um email:

paulosutto@ativeg.org

Gratos,
Coordenação Ativeg

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sorvetes veganos em Itapira…..Aguardem !!!!

 

sorvetes veganos2

Aguardem que uma sorveteria da cidade estará colocando no mercado uma linha de sorvetes veganos. Serão mais de 10 sabores produzidos sem leite e sem nenhum ingrediente de origem animal.

Vamos aguardar e fazer desse ambiente um point para divulgação de ideias voltadas ao vegetarianismo, veganismo e proteção aos animais.

É isso aí. Posso adiantar que já experimentei alguns sabores e são ótimos.

sábado, 13 de outubro de 2012

Você gosta de leite ?

leite

Você gosta de leite e de derivados?  Hum

Seria interessante você conhecer um pouco mais sobre esse alimento e descobrir o que se esconde por trás daquelas caixas. Inclusive a opinião de um cardiologista de renome internacional.

Acesse o link abaixo e saiba mais:

Vista-Se

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Falando sobre Veganismo

 

Decisões, hesitações, dilemas. É sobre todas essas confusões que acontecem na cabeça de quem está em fase de transição ao vegetarianismo que o professor e ativista Roberto Juliano, ovo-lacto vegetariano há oito anos e vegano há cinco, fala em seu novo livro, O Dilema do dilemaVegano (Ed. Tapioca).


Antes um carnívoro convicto, o autor conta de forma leve, quase em uma conversa com o leitor, sobre as experiências que marcaram seu caminho até o veganismo. Ao longo da obra, além de compartilhar histórias, Roberto dá dicas sobre  alimentação e comportamento, sugere locais e produtos livres de crueldade, indica fontes de informação, invade os bastidores da produção da carne, chama a atenção para os direitos animais e, como se bastasse, recheia seu livros de receitas veganas que vão desde as mais simples às mais elaboradas.

Vale a leitura.

Fonte: Revista dos Vegetarianos - Out/2012

Penso, logo sou vegetariano ! Pense você também.

penso

Penso, logo sou vegetariano.

A princípio essa frase parecer expressar uma certa arrogância por parte dos vegetarianos, mas se analisarmos vamos ver que é uma pequena frase com grande fundo de verdade.
Eu, como muitos de vocês, leitores desse blog, já fui onívoro, e nunca pensei de onde vinha meu alimento, afinal, desde criança nos acostumamos a ter na mesa os alimentos básicos, ou seja, carne, ovos e laticínios.
Sinceramente nunca me questionei de onde vinham. Afinal sempre foi assim.
Aceitava a ideia de que os animais não humanos foram feitos para nossa alimentação.
Se por trás disso, estava muita dor e sofrimento era outra história, mais ou menos assim: não fui eu quem matei mesmo, então vou comer.
Mas o tempo vai passando, vamos crescendo e nos tornamos adultos e ainda, por vezes, nunca pensamos nisso, nessa questão de saber de onde vem os alimentos que comemos e como chegaram até nossos pratos.
E é aí que entra a frase em questão: Penso, logo sou vegetariano.
Quando começamos a pensar sobre nossos alimentos, digo, sobre a carne, leite e ovos, vamos entender que os animais não humanos sentem as mesmas coisas que nós sentimos, dor, fome, sente, amor e outros sentimentos.
Ou seja, somos basicamente iguais, então qual o sentido para essa loucura toda de se alimentar de outro ser vivo como eu, afirmando que eles foram feitos para isso.
Carne é vício, não é necessidade. Todos nascemos vegetarianos e somos induzidos a comer carnes já quando somos ainda bebês. Essa é a verdade.
Sabemos que o consumo de carne é algo novo, pois as culturas mais antigas tinham sua alimentação baseada nos legumes.
Esse é um ponto que nos leva a não comer carne, ou seja , evitar o sofrimento desnecessário dos animais não humanos.
Mas, se pelos animais ainda não for convincente, que tal então pela sua própria saúde? Seria um bom motivo?
Hoje com o crescimento populacional há a necessidade de se produzir mais e em menos tempo.
E é onde os animais são criados e alimentados com super rações aditivadas com todo tipo de substância que fará com ele cresça muito rapidamente.
E todas essas substâncias irão parar no organismo humano, causando infinitas doenças que poderiam ser evitadas.
A questão é: vale a pena ser vegetariano?
Posso responder em alto e bom som que sim, vale muito a pena.
O primeiro ponto a ser levado em consideração são os animais, eles não foram criados para sofrer.
O segundo ponto é nossa saúde. Nosso corpo foi criado originalmente como uma máquina perfeita e sua manutenção deve ser feito à base de vegetais e todas as substancias saudáveis que encontramos na natureza.
Vegetarianismo não é moda, não é apenas um status, é um modo de vida.


Você pode até não ser vegetariano, mas se pensar um pouco vai admitir que temos razão.
E se você chegar à conclusão que essa seria uma mudança boa na sua vida, porque não mudar e se tornar vegetariano? Acha que não vai conseguir?
Se você pensou em ser vegetariano, o primeiro passo foi dado.


Você não estará sozinho, pois 15,2 milhões de brasileiros já deram esse passo e estão seguindo em frente, junte-se a nós. Seja vegetariano.
Pense nisso, pelos animais, pela sua saúde, pelo meio ambiente e pela vida.



PENSO, LOGO SOU VEGETARIANO.
 

sábado, 6 de outubro de 2012

terça-feira, 11 de setembro de 2012

O mito do Leite – Assista, muito bom

Quer proteger seus ossos e evitar fraturas? Não tome leite.

Produtos lácteos não fazem parte da dieta na China, Japão, Vietnã e Tailândia. No entanto, a população desses países possuem uma das mais baixas taxas de osteoporose e fratura óssea no mundo. O consumo de leite está relacionado à maior incidência de dermatite atópica, cólica e constipação intestinal, diarréia, bronquite asmática, enxaqueca, rinite alérgica, câncer de mama e de próstata, entre outras doenças.

 

Dr. Lair Ribeiro, médico cardiologista/nutrólogo, autor de 35 (15 best sellers) livros, 25 dos quais são traduzidos para outros idiomas e disponíveis em mais de 40 países, na área de auto-conhecimento e 149 trabalhos científicos publicados em revistas médicas americanas indexadas. O Dr. Lair Ribeiro teve a oportunidade de viver 17 anos nos EUA e trabalhar em três universidades americanas – Harvard Medical School, Baylor College of Medicine e Thomas Jefferson University. Além disso, foi diretor médico da Merck Sharp & Dohme e diretor executivo, chegando a vice-presidente, da Ciba Corporation (hoje Novartis). Ele hoje trabalha em vários países da América do Sul, Central, do Norte e na Europa ministrando conferências e Workshops sobre desenvolvimento pessoal/profissional e faz também cursos para médicos na área de antienvelhecimento e modulação hormonal bioidêntica.

Fonte: Vista-se

sábado, 8 de setembro de 2012

Banda Nova e ecológica

Música Ecológica
A banda brasiliense de rock metrópole Locomotiva acaba de lançar seu primeiro disco Sangue e Cinzas.
Ecologicamente correta, a embalagem do CD consiste em um envelope de papel reciclado, impresso com tinta ecológica.
Além disso, o álbum foi divulgado e disponibilizado on-line para evitar a produção de resíduos. Metade dos recursos adquiridos no evento de lançamento do disco foi revertida para o Augusto Abrigo, entidade que fornece ajuda para mais de 700 cães e gatos abandonados.
Conheça em: www.metropolelocomotiva.com.br

Eu baixei o Cd e gostei do som e das letras.
Vale a pena

metropole locomotiva   metropole

Você sabia disso ??

Escassez de água pode forçar população a se tornar vegetariana, aponta estudo

Em 2015, até 605 milhões de pessoas continuarão sem acesso a água potável. A projeção é do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Uma das maiores consequências dessa situação é a escassez de alimentos.

O relatório Alimentando um mundo sedento: Desafios e Oportunidades para a segurança hídrica e alimentar, divulgado em 27 de agosto, na Suécia, aponta que, devido a falta de água, a população terá que mudar seus hábitos alimentares, e substituir a carne por vegetais.

Para os cientistas, a medida é uma opção para reduzir os riscos da escassez do recurso, uma vez que a dieta vegetariana poupa de cinco a dez vezes o consumo de água em relação a proteína animal. “A capacidade de um país de produzir alimentos é limitada pela quantidade de água disponível em suas áreas de cultivo”, destaca o documento.

A relatora especial das Nações Unidas para o direito humano à água e ao saneamento básico, Catarina de Albuquerque, afirmou que cerca de 70% dos recursos usados na agricultura são empregados na produção de alimentos considerados por ela como supérfluos.

Para o Unicef, o saneamento básico tem ligação direta com as desigualdades sociais. Foto: izahorsky

“A água utilizada para a agricultura não é toda para realizar o direito humano à alimentação. Aliás, 70% da água utilizada na agricultura serve para produzir alimentos de luxo, desnecessários, supérfluos para a realização ao direito à alimentação. É a carne que vem do Brasil ou as mangas que vêm da Argentina, os ananases da Costa Rica, as laranjas de Israel ou os tomates do Marrocos. São as t-shirts de algodão que vêm da Índia. Nós também temos que pensar no quanto estamos gastando de água.”, ressaltou à Rádio ONU.

Saneamento básico e desigualdades

Na Semana Mundial da Água, realizada de 16 a 22 de agosto, em Estolcomo (Suécia), o Unicef declarou que o acesso a água e ao saneamento básico depende do progresso na luta contra as desigualdades sociais.

“O problema são as desigualdades. Isso quer dizer que muito do progresso que tem sido realizado, tanto em termos de água, como em termos de saneamento se verifica nas grandes cidades, em grandes centros urbanos. Isto quer dizer que aquelas pessoas que vivem em favelas ou em zonas rurais mais remotas têm sido esquecidas e deixam de ser contempladas no progresso que o mundo tem verificado ao longo dos últimos anos”, explicou o órgão.

* Publicado originalmente no site EcoD.

Fonte: Revista Ecologico

terça-feira, 4 de setembro de 2012

domingo, 2 de setembro de 2012

No inferno, todos vestem vestem branco.


Esse texto é muito bom, um pouco longo mas vale a pena...

Ainda não amanheceu, estamos diante da chuva e do frio do inverno gaúcho à espera do ônibus que irá nos guiar até um dos maiores matadouros do RS. Somos estudantes de medicina veterinária, cursando uma disciplina obrigatória de inspeção de produtos de origem animal. A maioria de nós encontra-se eufórica, à espera dos ‘momentos emocionantes’ do dia. Eu estou em um canto, sendo observada de perto pela professora e o coordenador do curso, que ao saberem que sou vegana e ativista, temem que eu tenha um colapso na linha de matança.

Entramos no ônibus e seguimos viagem. No caminho, a sensação de que as cenas que eu teria que presenciar não seriam diferentes daquelas filmadas clandestinamente em matadouros ao redor do mundo, e ao mesmo tempo o sentimento inequívoco de que estaria prestes a presenciar uma série de crimes considerados ‘necessários’ pela humanidade.

Chegamos! Ao abrir a porta do ônibus, já somos tomados pelo impregnante odor adocicado da matança das aves que ocorre dentro do estabelecimento. Adentramos o local, após termos vestido roupas brancas especiais, e começamos a visita no sentido contrário ao fluxo produtivo para evitar contaminações no produto final. Trata-se de um corredor estreito, com o pé direito baixo, quase um túnel, que desemboca em uma luz amarela intensa, para repelir insetos. Nossa guia, então, abre a porta e entramos na parte final da produção. Um sistema complexo de esteiras e ganchos, chamados nórias, passam por nossas cabeças, e neles estão fixadas pelas patas as carcaças de frango, que pingam incessantemente uma gordura fétida acrescida da água hiperclorada utilizada em sua higienização.

Sob as esteiras estão os funcionários que trabalham em pé, diante de uma bancada, na maioria mulheres, que nos olham com curiosidade e espanto. A expressão em seus rostos é de uma tristeza marcante, mesclada pelo cansaço físico dos movimentos repetitivos que têm que executar diariamente. O barulho do local é ensurdecedor e, conforme andamos, o cheiro forte torna- se cada vez mais desagradável. Em cada bancada, os funcionários devem desempenhar uma função, chamadas de linhas de inspeção, que são classificadas por letras do alfabeto. Em cada letra ocorre a retirada padronizada de determinados órgãos. Um grupo de mulheres, muitas sem luvas, trabalham retirando com as mãos, com uma destreza impressionante, a vesícula biliar das carcaças em processo de evisceração. Mais adiante, outra funcionária dedica-se a ‘pescar’ com uma barra de metal as carcaças que caem no chão, para destiná-las à graxaria, onde serão transformadas em produtos não-comestíveis. Durante a passagem das nórias podemos observar que cada uma apresenta uma marcação com uma cor, o que serve para fazer a contagem final dos frangos por produtor e repassar o lucro referente ao dia.


Você quer fazer história ??

 

sábado, 1 de setembro de 2012

Por trás da fome do mundo

 

Planeta Terra: Mais de 7 bilhões de pessoas. 925 milhões com fome crônica.

Falta de Alimentos? Não. Falta de consciência. Você sabia que se numa área de terra qualquer, cultivarmos forrageiras para alimentar o gado, este afinal irá alimentar mil pessoas: mas, se nessa mesma área palntarmos grãos, serão alimentadas por eles quatorze mil pessoas?

Essa é a proporção real: 14 por 1. Multiplique isso por milhares. Por milhões. E saberá para onde vai a comida das crianças famintas do planeta Terra. O que levou um diretor do Conselho de Proteína da ONU a declarar, com todas as letras: "os grãos das classes pobres estão sendo desviados para alimentar o gado dos ricos." Mais precisamente, um terço dos grãos do mundo vira comida animal. E mais: os animais de corte são verdadeiros "sumidouros de proteínas". De toda a proteína que um noi consome - 100% - sabe quanto ele vai devolver? Dez por cento. Isso faz faz da carne o alimento mais antieconômico e elitista do planeta, Enquanto milhões de pessoas morrem de fome, utiliza-se imensas extensões de terra, água e grãos para criar e alimentar animais para os consumidores de carne.

Extraído  do livreto: Paz e Amor, Bicho

www.pazeamoraosbichos.org

Vegetarianismo não é assunto novo….

alguns-pensadores-falando-sobre-vegetarianismo

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Pizza de abobrinha

pizza04 pizza05 pizza06  pizza08 pizza09 pizza10 pizza11 pizza12 pizza13

Só para deixar os visitantes com água na boca. Pizza de abobrinha, muito boa e sem segredos.

Abobrinha fatiada bem fininha e refogada, escarola refogada com azeite, cebola e pimenta calabresa. Tomate uva, cebola roxa fatiada e azeitona espalhado por cima de tudo e um fio de azeite para dar um sabor todo especial. O sabor então, sem comentários, uma pizza leve e muito saudável que não pesa nem no estômago e nem na consciência. 

Usa a criatividade e saboreie deliciosas pizzas, crie seu sabor, inove, saia do lugar comum. E quem disse que pizza tem de ter aquele monte de mussarela por cima ? ?

Alegria de ser vegetariano !!!!

É isso aí….descubra novos sabores da vida…

sábado, 11 de agosto de 2012

Não somos os únicos

   

     O que já era evidente agora é confirmado e assinado pela ciência. No dia 7 de julho, um grupo formado pelos mais respeitados neurocientistas da atualidade se reuniu na Universidade de Cambridge, no Reino Unido, para o Francis Crick Memorial Conference (www.fcmconference.org) Além de apresentarem suas recentes pesquisas relacionadas à consciência, o grupo aproveitou para assinar o "The Cambridge Declaration on Consciousness", um documento que tem como objetivo mostrar para o mundo, principalmente para o universo científico, que os animais, assim como os humanos, têm consciência,
    De acordo com o documento escrito pelo cientista Philip Low, professor da Escola de Medicina de Stanford e pesquisador afiliado ao MIT (Massachusetts Institute of Technology), os animais não humanos têm a neuroanatomia, neuroquímica e substratos neurofisiológicos dos estados conscientes. Ou seja, o ser humano não é o único a possuir os substratos neurológicos que geram consciência. Animais não humanos, incluindo todos os mamíferos e aves, e muitas outras criaturas, também possuem esses substratos neurológicos.
    O documento assinado no dia 7 de Julho pode não ser o início de uma grande revolução, mas é mais um passo em direção à libertação de seres que, assim comos nós são capazes de perceber o mundo à sua volta, sentir; pensar; ter memórias e emoções. Seres que merecem todo o nosso carinho e respeito.

Marco Clivati
Editor da Revista dos Vegetarianos - Agosto/2012

sábado, 4 de agosto de 2012

Essa é verdade

 

"Quando a última árvore tiver caído,
quando o último rio tiver secado,
quando o último peixe for pescado,
vocês vão entender que dinheiro não se come."

Greenpeace

greenpeace

sábado, 28 de julho de 2012

Bem me quer. Pasta de soja

pasta-de-soja-bem-me-quer-com-alho-poró-e-alho

Uma boa opção para se passar no pão e fácil de se encontrar nos supermercados é a Pasta de Soja Bem me Quer.
É um produto produzido por uma empresa de Hortolândia, interior de São Paulo, Lifecompany
.
Apresentado em potes de 275g e bem coloridos, a pasta tem vários sabores e o preço não é tão caro.
Vale a pena conferir.

Fica a dica.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Quem vai ao rodeio ???

Qual é a graça em ver um animal montando sobre outro como se fosse superior?  Rodeio não é cultura, não é esporte, é tortura.

Como pode chamar essa tipo de coisa de divertimento? Divertimento para quem? Para qual animal o rodeio é divertido?
Em muitas cidades, inclusive algumas dos Estados Unidos esse tipo de evento é proibido.
Até quando precisamos compartilhar o mesmo espaço com pessoas que, infelizmente ainda pensam que animais foram feitos para isso.
Que foram feitos para sofrerem, serem tortutados a troco de nada, para viverem como se fossem mercadorias. A mesma dor que nós animais humanos sentimos, eles também sentem.
Quem nos deu essa autoridade para reianrmos sobre as outras criaturas?
Dizer que os animais não humanos foram feitos para nosso divertimento, para ficarem trancados botando ovos, para viverem grávidas para que nós humanos tomemos seu leite e comamos sua carne é simplesmente absurdo e inaceitável.
Não é uma visão inteligente. Somos humanos, somos considerados os tais seres racionais.
Mas na verdade podemos ser bem mais inteligentes do que isso.


Abrace essa causa. Seja vegetariano.
Pelos animais. Pela sua saúde. Pelo planeta. E por você mesmo.
Você só tem a ganhar.
Pense nisso.

sábado, 14 de julho de 2012

O substituto para a carne.


O Ministério da Saúde, por meio do seu Guia Alimentar para a População Brasileira, orienta o consumo diário máximo de 100g de carne por dia. Essa quantidade pode ser substituída por cerca de 7 colheres de sopa de feijões cozidos. Observe que é uma troca muito simples de ser feita, e essa quantidade nem precisa ser na mesma refeição. Se você comer 3 colheres de sopa de feijão no almoço e quatro no jantar; terá atingido as 7 colheres ao longo do dia.


É muito comum o novo vegetariano cair no erro de tentar substituir uma proteína animal por outra  animal, ou seja, a carne por ovos e laticínios. Essa troca é inadequada, pois os nutrientes da carne são diferentes dos encontrados nos ovos e laticínios. Vamos lembrar que o grupo dos feijões inclui não apenas o carioca, preto, rosinha e rajado, mas também a ervilha, o grão-de-bico, lentilhas, favas, tofu (soja) e quaisquer outros tipos de feijões. Nenhum grupo alimentar é tão parecido com a carne quanto os feijões.


Fonte: Revista dos Vegetarianos.

Dicas para novos vegetarianos

O número de vegetarianos no Brasil cresce a cada dia, o motivo desse crescimento vem da descoberta de uma dieta mais saudável que proporcina melhoras no corpo e na mente de quem a adota.
Muitas pessoas se tornam vegetarianas para evitar doenças e ter uma vida longa, outras porque são defensoras dos direitos dos animais e algumas até porque acreditam que o consumo de carne afeta de maneira negativa a economia no planeta, independente do motivo que você escolheu para se tornar vegetariano aqui vão algumas dicas para facilitar sua adaptação a nova dieta e seu sucesso.




1 - Não vire vegetariano do dia para a noite, seu sistema digestivo, paladar e mente precisam de um tempo para se adaptarem a nova dieta. Você pode começar diminuindo o consumo de carnes gradativamente, por exemplo:
Se você come carne todos os dias da semana, passe a comer dia sim dia não,depois de adaptado, reduza para 3 vezes na semana, duas, uma e por fim elimine da sua dieta.
Mesmo que você esteja enojado após assistir documentários sobre o abate dos animais e animado por ler sobre os benefícios da nova dieta, faça a mudança gradativamente para seu organismo não sabotar suas decisões!


2 - Não aumente o consumo dos derivados do leite para compensar a falta da carne! Esses alimentos tem uma alta taxa de gordura saturada que aumenta o risco de doenças cardíacas, ganho de peso e aumento do muco no organismo. Prefira acrescentar proteínas vegetais como as presentes nos grãos de soja, lentilha, feijões e introduza outros alimentos como nozes, frutas alimentos integrais…


3 - Conviva com outros vegetarianos, o convívio com pessoas adeptas da dieta vegetaria torna mais fácil a fase de adaptação além de ser uma ótima forma de trocar receitas, esclarecer dúvidas e receber incentivo.


4 - Evite durante a fase de adaptação situações que farão você cair em tentação pelo paladar, como churrascos, feijoadas e almoços onde servirão carne.


5 - Evite situações de pressão psicológica! Quando você começa a obter os primeiros resultados da sua dieta vegetariana, fica doido para que todos ao seu redor experimentem a mesma sensação agradável que você está tendo e começa a tentar convencer todos que pode a se tornarem vegetarianos, isso é um perigo! Parte das pessoas é inflexivel até para ouvir sobre o assunto, e elas podem fazer pressão psicológica para você voltar a comer carne! Isso pode lhe abalar e prejudicar a sua escolha e persistência na dieta vegetariana, espere estar totalmente adaptado e estável para começar a divulgar seu sucesso!



Fonte: mulheresperta

segunda-feira, 2 de julho de 2012

A imbecilidade humana de quem deveria informar e não ridicularizar.


Uma noticia que deveria ser tratada com respeito acaba virando deboche na boca de jornalistas que se acham conceituados, mas que no fim das contas se mostram dignos de pena, haja visto a demonstração de ignorância. Também vindo da Globo, não é de se estranhar. Assista ao video abaixo, e leia a matéria completa clicando no link logo abaixo:




Leia a matéria completa clicando AQUI !!

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Você acha que todo vegetariano é fraquinho ? ?

31

 

 

 

“A melhor coisa em ser vegetariano para mim é, primeiramente, saber que eu não estou ferindo nenhum animal. A segunda coisa foi o aumento da minha força. Eu estou muito mais forte do que eu era quando eu comia carne.”

Passos que transformam

No decorrer de nossas vidas, passamos por diversas e incríveis transformações.Após o parto, a primeira delas é quando aprendemos a andar. Conseguir das os primeiros passos é nossa primeira grande conquista. Uma liberdade nunca antes experienciada.

Em momentos transformadores como o andar e em muitos outros, passamos a olhar e encarar tudo à nossa volta de maneira diferente. Um mundo inexplorado surge diante de nós.

Optar pelo vegetarianismo é um desses momentos incríveis que acontece em nossa jornada. Um universo desconhecido repleto de novos sabores, informações e certas dificuldades surge à nossa frente. Nessa hora, ao mesmo tempo em que bate uma vontade enorme de explorar o novo, dar os primeiros passos em direção ao desconhecido pode ser amedrontador.

Aqueles que decidem mudar suas vidas com o vegetarianismo, no começo dessa transformação, devem encarar o novo como o bebê que está aprendendo a andar. Arriscar os primeiros passos sem medo de cair e, quando cair, levantar novamente, confiante, ruma a essa transformadora conquista.

Editorial ao leitor da edição de Maio/2012

Marco Clivati

!!!

carneO aumento de vegetarianos  nos EUA estaria impulsionando o mercado de substitutos da carne no país, de acordo com o jornal Los Angeles Times.
Em Dezembro de 2011, uma pesquisa da Vegetarian Resource Group, conduzida pela Harris Interactive, descobriu que 16% dos americanos não comem nenhum tipo de carne em mais da metade de suas refeições e que 5% levam um estilo de vida vegetariano.
Os dados da Associação dos Alimentos de Soja da América do Norte apontam que, entre 2007 e 2010, a venda de produtos alternativos à carne cresceu 4,19%. Outro dado que mostra o crescimento deste mercado é o aumento da procura dos clientes que pedem produtos de soja nos restaurantes dos Estados Unidos, como hambúrgueres vegetarianos. O número saltou de 20%, em 2010, para 31% em 2011, segundo o United Soybean Board.

Fonte: Revista dos Vegetarianos - Edição Maio 2012

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Mas o que é que você come ?

cazé

O apresentador Cazé Peçanha visitou o Restaurante vegetariano Moinho de Pedra para aprender um pouco mais sobre vegetarianismo e desabafou que mesmo sendo vegetariano há 20 anos ainda se depara com a pergunta:
"Nossa ! E você como que ?"

A matéria é bem interessante e você ver clicando no link abaixo:

Cazé Peçanha no programa Dia Dia.

terça-feira, 24 de abril de 2012

Ativeg precisa de você !!!!!!

ativeg voce

O Ativeg Itapira precisa de pessoas para executarem atividades em Itapira.
Ajude a divulgar esssa ideia.
Caso tenha interesse entre em contato pelo email:
paulosutto@gmail.com